Emoção e dor no sepultamento do agropecuarista e ex-senhor de engenho José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira), primo do ex-deputado federal e ex-secretário de saúde da Paraíba, Dr. Zuca Moreira. 

Em clima de grande comoção foi sepultado domingo (21) no cemitério de Sousa-PB, o corpo do agropecuarista e ex-senhor de engenho José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira. Ele faleceu às 13:30h de sábado (20), no Hospital Regional Deputado Manoel Gonçalves de Abrantes em Sousa-PB, aos 92 anos.  José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira) residia no Distrito de Campo Alegre-Vieirópolis-PB e  deixa viúva a senhora Raimunda Joana Moreira e os seguintes filhos Maria; Elisabete Moreira;  comerciante Dedé Moreira; Joana; Zélia; comerciante Euzébio Moreira; Naldinho Moreira; Gracinha; a professora Remédios Moreira das Escolas Rômulo Pires e Antônio Teodoro Neto do município de Sousa-PB e Francisco Moreira “in memoriam”. José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira)   era filho do Sr.  Sabino Moreira e Dona Totonha Moreira “in memoriam”.

Durante muitos anos José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira) residiu na comunidade do Segredo/Vieirópolis-PB onde era proprietário de um engenho para fabricação de rapadura, mel e alfenim. Zé Moreira era uma das reservas morais da região. O saudoso agropecuarista Assis Barbosa era detentor de um grande canavial nas comunidades do Pinhão e Bonfim e foi responsável por uma grande moagem no engenho de Zé Moreira e gerou emprego e renda na época.

Zé Moreira foi um senhor de engenho respeitado na região assim como o saudoso  Zuza Emídio em São Diogo; Sr. Olegário Moreira “in memoriam” e o  agropecuarista e ex-vice-prefeito de Vieirópolis, José Júlio Gonçalves (Zé Júlio) de saudosa memória na comunidade do Riacho; saudoso Cícero Gabriel da Costa na comunidade de Caiçara; João Duarte dos Santos (Seu Peba)  “in memoriam” na comunidade de Arara; Zezinho Abrantes nas comunidades de Catingueira e Morada Nova; o saudoso agropecuarista José Tomaz Estrela (Zé Tomaz) em Bernardino Batista e ainda em funcionamento o “Engenho de Chico Arabe” na comunidade de Saco da Sinhazinha-Joca Claudino-PB.  Os senhores de engenho formavam a chamada aristocracia rural. Eram obedecidos e respeitados por muitos. Donos das terras, dos canaviais e senhor de tudo.

No livro Sociologia da Rapadura, o historiador Luís da Câmara Cascudo  comenta que a rapadura era o doce das crianças pobres, presente para escravos e que até hoje nunca falta na casa de um sertanejo. Serve, entre outras coisas, para adoçar o leite, o café ou o mugunzá. Não há casa sertaneja sem farinha e rapadura. A rapadura está presente na mesa do sertanejo. É o adoçante do café, do leite, da coalhada.

 

Às 15h foi celebrada uma missa na Igreja de Nossa Senhora das Graças no Distrito de Campo Alegre-Vieirópolis-PB, presidida pelo sacerdote Eliseu Soares de Oliveira.

 

José Moreira da Nóbrega (Zé Moreira) era membro da tradicional família Moreira da comunidade do Cipó, do Distrito de Fátima, Cachoeira dos Índios-PB; Distrito de Campo Alegre-Vieirópolis-PB; Sousa e Cajazeiras. São seus primos o ex-deputado federal (1991 a 1995), ex-secretário de saúde da Paraíba, ex-professor na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Paraíba, fundador e ex-presidente da Unimed, ex-presidente do Conselho dos Secretários de Saúde do Brasil, Dr. José Moreira Lustosa (Dr. Zuca Moreira);  da jornalista, doutorada em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e professora titular de Sociologia da UFCG  – Campus de Cajazeiras-PB, Mariana Moreira Neto; do  saudoso ex-vereador de Cajazeiras-PB, Abel Moreira da Nóbrega;   do ex-vereador Alvino Moreira Lustosa” in memoriam”; de José Antonio Moreira; Hilário Moreira de Figueiredo; Romualdo Moreira de Figueiredo;  do saudoso casal, Raimundo Moreira  de Moura  e Bernardina Moreira de Moura (Betina); dentre outros.

Recentemente o seu neto José Moreira da Nóbrega Neto, 17 anos, da cidade de Sousa-PB foi selecionado pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o Curso de Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Campus de Caicó-RN. O sepultamento ocorreu às 16h no cemitério de Sousa-PB.

 

 

Abdias Duque de Abrantes

Jornalista MTB-PB Nº 604