O papa Francisco aceitou a renúncia do bispo de Formosa (GO), Dom José Ronaldo Ribeiro, acusado de desviar mais de 2 milhões de reais ao lado de outros padres dos cofres da Igreja, disse a Santa Sé nesta quarta-feira (12). Ribeiro foi detido em 19 de março.

Paulo Mendes Peixoto, arcebispo metropolitano de Uberaba, Minas Gerais, vai assumir a função.

José Ronaldo Ribeiro e quatro padres – um monsenhor, um vigário-geral e dois funcionários do setor de administração da Igreja– foram presos na Operação Caifás, criada para investigar desvios de recursos de 33 paróquias vinculadas à Diocese de Formosa.

A suspeita é de que os integrantes tenham adquirido imóveis, carros e joias com o dinheiro, de acordo com o Ministério Público de Goiás. Uma parte do dinheiro teria sido usada para comprar uma fazenda de gado e uma casa lotérica, segundo a imprensa local.

Os recursos desviados procediam de dízimos, doações e taxas de batismos e casamento, entre outros.

A Operação Caifás foi montada a partir de relatos de fiéis que exigem prestação de contas da Igreja Católica de Goiás. Em dezembro de 2017, eles protocolaram denúncia no Ministério Público, afirmando que a Diocese de Formosa, que abrange 33 igrejas e 20 municípios goianos, não divulgou dados da contabilidade, nem mesmo dos últimos três grandes eventos festivos.