Vivemos  em  um  País  que  se  diz  “DEMOCRÁTICO”,  mas  na  prática  esta ação  vem  a  cada  dia  tornando-se  uma  contradição  porque  os  cidadãos estão deteriorando seu real objetivo;

estão deixando de lado o exercício consciente da cidadania e dando lugar a disputas eleitorais que ao invés de colocar em prática os    princípios de democracia, estão é permitindo a Agressão e a violência como forma de conseguir votos e deixando de lado os verdadeiros  objetivos; onde se possa construir práticas de cidadania e todos  possam  dar  as  mãos  e  poder  trabalhar  mostrando  seus  planos  de governo  e  suas  metas  a  serem  executadas  ao  longo  de  sua  gestão, permitindo  transformar  sua  região  ou  País.

Podemos  incluir  aqui  nesta reflexão  a  questão  da  Ética  que  é  um  dos  fundamentos  indispensáveis para  a  construção  de  um  mundo  mais  solidário,  onde  os  ideais  egoístas desse  espaço  a  ações  humanas,  a  gestos  de  generosidade  e  o compartilhamento pudesse invadir a alma de ser humano de um estágio egocêntrico para o estágio de busca da integridade, estimulando práticas de  convivência  saudáveis,  seja  no  âmbito  político,  econômico,  social, educacional e assim poderíamos transformar esta arcaica forma de fazer política e possibilitar a sociedades a assumir novas formas de convivências humana.

Deixar de lado esta prática política de embate, onde o sujo fala do mal lavado  e propor um jeito democrático de transparência,    isto    é, ganha  aquele  que  apresentar  propostas  e  trabalho  em  prol  da comunidade,  do  lugar  onde  habitamos  ou  do  país  onde  moramos.

urnaeletronicaDevemos alimentar depois deste processo político nossas almas e espírito como cidadãos críticos, reflexivos, capazes de perceber a realidade como se  apresenta, não como seres submissos; mas fortalecidos com uma visão de que cada cidadão brasileiro precisa fazer a sua parte, trabalhando com respeito  pelo  outro,  e  que  cada  irmão  independente  de  cor  partidária, social  e  religiosa  deve  expressar-se  e  pensar  por  se  próprio  e  seguir  em frente, contribuindo com o crescimento do nosso município e porque não dizer do Brasil?  O processo eleitoral passou! Colocar a cabeça no lugar e perceber a existências dos problemas de nossa região, como esta seca que aflige  todos,  indistintamente,  porque  é  uma  realidade  que  atinge  do pequeno  ao  grande  proprietário  de  terra  e  rebanho.

É  uma  situação preocupante,  porque  além  destes  problemas  estruturais;  vem  abalar  a vida  humana  como  a  escassez  de  água.  Nunca  vimos  ou  assistimos tamanha disputa por água aqui em nossa região? Trabalhar, pesquisar  as viabilidade  de  transpor  água  para  nossa  região  é  uma  situação  urgente, mais que urgente. A campanha eleitoral passou, mas a seca ainda persiste e a água, a  construção  e reformas de açudes aqui em nossa região é uma medida  de  urgência.

Muito  se  fala  que  muitas  guerras  já  ocorrem  por vários motivos, mas na mídia escuta dizer que a terceira guerra mundial será por causa da água. Será que não existe um pouco desta verdade? A sociedade em geral deve ser despertada para este fator que vem agravar a situação  dos  agricultores,  criadores  e  do  comércio  em  geral  para pressionar  e  Juntar  forças,  formar  parcerias  é  uma  das  alternativas  para resolução  da  questão.  Ficar  nos  rádios  falando  um  do  outro  não  vai resolver o problema, mas conversar, dialogar e buscar alternativas viáveis

para  que  a  situação venha  a  ser  amenizada  e  que  a  população  em  geral possa  a  ser  beneficiada.  Uma  coisa  precisa  ser  evidenciada:  cada  um  de nós  temos  nossa  capacidade  de  contribuir,  basta  oportunidades  e possibilidades  de  trabalho  em  conjunto,  porque  ninguém  sozinho  realiza nada, só  um mundo mais solidário, onde o ser humano possa fazer parte de  sua  história  e  que  a  política  possa  ser  transformada  em  trabalho  em prol da população, não mera prática de disputas de poder e estatus .

Pode até ser sonho, mas pensar é um dos caminhos que mantém objetivos vivos a  serem  executados  no  futuro  próximo,  e  este  futuro  bem  próximo  é discutir sobre os  problemas existenciais, especialmente a seca. Se chover bem!  E se  não?  O que Nós  sociedade  podemos  contribuir?  E  os Governantes?  Estes  vão  ter  que  deixar  as  disputas  de  lado  e  somar trabalho para o bem comum.

VerluciTexto: Raimunda Verluci de Oliveira Sarmento( verlucioliveira@gmail.com)

05/11/2014