Numa busca constante pelo novo e belo que está na moda; nossos jovens vem sofrendo no mundo moderno um impulso sem limites sobre sua vida e na fase da adolescência um período de encantos e descobertas pela vida. É nesta fase que ele pode estar em perigo se a família não tiver disposta e preparada para orientar os seus jovens neste novo embate. Quando bem estruturado emocionalmente no seio da família estes jovens na maioria dos casos conseguem desenvolver relacionamentos profundos e prazerosos, já outros, estão sempre pensando no que poderão estar perdendo e mantendo apenas relações fugazes. Nesta realidade pautada por uma cultura do excesso, do sempre mais, possibilitando um desenvolvimento de mudanças que ocorrem num ritmo esquizofrênico, determinando passo a passo a vida dos jovens como ele deve proceder e conviver; especialmente nesta fase do namoro; onde a sexualidade cada vez mais precoce, também influencia nos aspectos de manter um relacionamento mais sério e duradouro. Neste contexto, deve-se levar em conta que em determinados casos uma criança de nove anos a dez anos não se auto intitule um Pré-adolescente, isto porque, a própria puberdade parece estar chegando cada vez mais cedo. Os meios de comunicação, televisão, facebook, o WhatsApp e o Instagram vem potencializar e trazer à tona novas formas de relacionamento não face à face, mas cria laços virtuais que no bate papo muitos se apaixonam e vem a se casar sem ter um contato de vivência cotidiana. Este contato virtual cria nesta nova geração sentimentos que precisam ser observados e orientados pela família destes jovens com os quais se relacionam virtualmente. Passa horas e horas acessando, curtindo, trocando idéias e o mundo ao seu redor se perde, sem ter em mente o quanto os encontros e contatos calorosos e experiências no dia a dia venha a ser realmente esta fase de namoro que nos tempos de nossos pais o namorado (a) procurava saber quem era a família da menina e assim criava um suspense em torno deste namoro possibilitando contato, conhecimento e experiências prazerosas de amor e conquistas. Não podemos, nem devemos deixar de lado que o namoro antigamente era diferente, mas diante desta nova geração não podemos deixar de relatar casos e acontecimentos que vem marcar esta nova era. Observamos que os adolescentes de hoje ganharam novos meios de namorar, de estabelecer contatos sexuais, liberdade de namoro, de transar, mas do outro lado, a violência anda estampada em todos os recantos, impedindo-os até de não mais sentarem nas calçadas, nas praças, isto é, enquanto ganham o prazer de viver uma sexualidade precoce, do outro, ficam presos nos muros de suas casas porque a violência está tomando de conta da vida. O adolescente atual tem ganhado maior liberdade a nível de informação sobre sexualidade, mas na prática tem-se vivenciado o contrário, onde constata-se o alto índice brasileiro de gestação na faixa etária de 15 a 19 anos. As informações estão em todo os recantos de sua convivência e o que tem faltado nesta juventude que passa por momentos de contrastes e deixando de lado conceitos de uma convivência prazerosa para manter relações momentânea sem nenhum afinco ou consistência de sentimentos. Namorar é um dos maiores prazeres da vida, especialmente na juventude que deve parar, refletir e repensar suas atitudes diante dos relacionamentos passageiros. Conhecer, conversar, gostar, respeitar e amar são encantos que deve fazer parte de um namoro e assim nossa geração poderá estabelece neste novo cenário critérios mais elaborados guando se fala em namorar! Deixo estas perguntas? Você se inclui entre os jovens que mantêm relacionamentos passageiros? Porquê ? Que sentido tem o namoro na vida dos jovens? Respondam através do fecebook! Que todos os casais possam curtir esta fase com prazer e amor porque quando o namoro é fortalecido por sentimentos verdadeiros Deus abençoa e tudo torna-se mais edificado. Feliz dia dos namorados a todos que sabem valorizar, respeitar e amar sem medo de ser feliz!
Texto de:
Raimunda Verluci de Oliveira sarmento. (verlucioliveira@gmail.com)
06/06/2015