“Não adianta tentar parar as minhas ideias. Elas já estão pairando no ar, e não tem como prendê-las”. Luiz Inácio LULA da Silva

Terça-feira (2) de outubro manifestantes realizaram uma caminhada por diversas ruas de Uiraúna, no Alto Sertão da Paraíba em prol da candidatura de Fernando Haddad (PT) e Manuela D’Ávila (PCdoB) à Presidência da República. A nação vermelha saiu da Unamilho e percorreu várias ruas da cidade. Ao longo do percurso o povo gritava Haddad 13. Uma multidão eufórica cantou, gritou e dançou.

Participaram do ato politico trabalhadores da cidade e do campo, sindicalistas, comerciários, professores, estudantes, representantes de igrejas, ONGs, representantes de associações, moradores de assentamentos, movimentos sociais do campo e da cidade, militância petista e militantes de partidos progressistas.

Haddad vai interromper as reformas do presidente ilegítimo Temer apoiadas por três candidatos (Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro e Marina Silva), que objetivam cortar os direitos trabalhistas com a reforma e aumento do Imposto de Renda dos mais humildes, com uma alíquota única para todo mundo.
Haddad quando foi ministro de Lula e ajudou a incluir o negro, o pobre e o filho do trabalhador nas universidades.

Lula e Haddad levaram campus de Institutos Federais para todo canto do Brasil. A ideia é seguir com essa interiorização da Educação, garantindo acesso e oportunidades às juventudes, sobretudo aos jovens que vivem em regiões mais vulneráveis e com maiores índices de violência. Haddad vai revogar a Reforma do Ensino Médio feita, sem diálogo algum, pelo governo ilegítimo de Temer e do PSDB. Haddad vai criar o programa Ensino Médio Federal.Na área da saúde o candidato Haddad promete ampliar a rede do programa Mais Médicos, com médicos especialistas.

“Lula garantiu renda para produtores rurais. Lula distribuiu renda e gerou emprego. Haddad vai continuar se Deus quiser o projeto de Lula. Haddad vai vencer com a força do bravo povo nordestino para o Brasil ser feliz de novo,” disse o protético Preciliano Oliveira.

Uiraúna, a terra dos músicos, dos médicos e dos sacerdotes, não poderia deixar de apoiar a Coligação que prega a distribuição de renda, a geração de emprego, retomar e aprofundar a democracia no Brasil, defesa e soberania nacional, revogar a reforma trabalhista, a terceirização generalizada, a política de privatização, a desnacionalização, o desmonte do Pré-Sal, entre outros. Uiraúna, terra de gente sábia, diz não à intolerância, ao ódio, à violência, à tortura, ao fascismo, ao retrocesso, ao preconceito, a obscuridade e a ameaça a democracia,

 

Abdias Duque de Abrantes
Jornalista MTB-PB Nº 604