II Ursap realiza palestras alusivas ao Abril Verde e alerta sobre doenças e acidentes de trabalho

A II Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap), com sede em Mossoró, por meio do do Núcleo Regional de Saúde do Trabalhador (Nursat), realizou sexta-feira (27), de 9 às 11h30, no auditório da unidade de saúde duas palestras alusivas ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças Ocupacionais. A gerente da II Ursap, Camila Alves de Oliveira fez a abertura do evento. Às 9h30 teve início à palestra “Movimento Abril Verde”, tendo como palestrante o técnico de segurança do trabalho do Núcleo Regional de Saúde do Trabalhador (Nursat), Leonardo Araújo Pansard.

Leonardo Pansard abordou a questão dos acidentes de trabalho. Entre as causas dos acidentes estão maquinário velho e desprotegido, tecnologia ultrapassada, mobiliário inadequado, ritmo acelerado, assédio moral, cobrança exagerada e desrespeito a diversos direitos.

“São exemplos de acidentes de trabalho choques elétricos, quedas, cortes, intoxicações, contaminação por agentes biológicos, mutilações etc. Muitos causam a morte do trabalhador. A atualização tecnológica constante nas fábricas e a adoção de medidas eficazes de segurança resolveriam grande parte deles”, disse Leonardo Pansard.

Brasil é 4º lugar no mundo em acidentes de trabalho

“Com uma média de 700 mil registros de acidentes de trabalho por ano, o Brasil ocupa atualmente o 4º lugar no mundo em ocorrência de acidentes de trabalho, atrás somente de China, Índia e Indonésia”, disse Leonardo Pansard.

DADOS

Cerca de 700 mil casos de acidentes de trabalho são registrados em média no Brasil todos os anos, sem contar os casos não notificados oficialmente, de acordo com o Ministério da Previdência. O País gastou em 2012 cerca de R$ 70 bilhões esse tipo de acidente.No Brasil, o Anuário Estatístico da Previdência Social (Aepes) mostra que, entre 2012 e 2016, 3,5 milhões de trabalhadoras e trabalhadores sofreram acidentes de trabalho no país. O que dá uma média de 700 mil acidentes por ano. Do total de acidentes, 74,5% foram acidentes típicos, 22,7% de trajeto e 2,6% de doenças do trabalho. A maioria das vítimas era do sexo masculino (69,4%). Ainda segundo a Previdência, em 2017 havia 240.638 trabalhadores afastados do trabalho, recebendo auxílio-doença.

“Nós não temos muitas razões para celebrar o Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho”, informa Leonardo Araújo Pansard.

Em seguida a executive coach, enfermeira e coordenadora do Programa Educação Permanente em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró, Marise Marinho palestrou sobre “Relacionamento Interpessoal no Trabalho”.

“O relacionamento interpessoal é a conexão feita por duas ou mais pessoas de um mesmo círculo. Ele tem muito a ver com a maneira como tratamos e nos relacionamos com os outros e a qualidade dessas relações. No núcleo profissional, trata-se da forma como nos relacionamos com os colegas de trabalho”, disse Marise Marinho.

“Dentro de uma empresa/instituição é comum que cada profissional, concentrado em suas atividades, responsabilidades e desafios, perca a visão do conjunto — ou seja, da equipe. Quando isso acontece as relações interpessoais começam a se deteriorar: o clima organizacional torna-se negativo, surgem desentendimentos e disputas internas, o trabalho fica desalinhado. Em outras palavras, quando as relações interpessoais desandam, toda a empresa/instituição, sofre”, destaca Marise Marinho.

Abdias Duque de Abrantes

Assessor de Comunicação Social

II URSAP MTB-PB Nº 604