A comunidade do Pinhão-zona rural de Vieirópolis – PB fica a 12 km da sede do município, a 15 km de Uiraúna e a 30 km de distância de Sousa. Da Rodovia PB – 385 (Rodovia Mauro Abrantes Sobrinho), que integra os municípios de Sousa, Lastro e Vieirópolis são apenas 9 km de estrada vicinal ou terra batida.Lá fica a sede a da Comunidade Jesus Pérola Preciosa – uma sociedade civil sem fins lucrativos de atividade religiosa que tem como objetivo a recuperação de dependentes químicos. O bispo da Diocese de Cajazeiras, Dom José González Alonso já celebrou diversas missas no local. A comunidade conta com a sede, a capela de Santa Clara, um mosteiro,alojamentos, biblioteca, refeitório, museu e área para reuniões. Em agosto é realizada a  tradicional festa da padroeira Santa Clara.
Também há no Pinhão a gruta de Nossa Senhora das Graças. No local é celebrado o terço dos homens, o ofício aos domingos pela manhã, o terço das mulheres e o rosário às sextas-feiras. A Gruta de Nossa Senhora das Graças é um cantinho de oração, devoção e reflexão. A gruta está aberta a visitação da população em geral. O povo da comunidade é caloroso, cordial e hospitaleiro.
Quem nasce na comunidade é pinhãoense. O Pinhão é uma comunidade formada por cinquenta e cinco famílias, uma creche denominada Francisca Maria de Abrantes (Mãe Chiquinha) “in memoriam” (esposa do saudoso agropecuarista Assis Barbosa); uma granja (PBRN Frangos), uma Oficina de Moto, um Posto Telefônico (3521-1098) em terreno doado pelo Sr. José Duque de Equitane (Zé de Duca – pai do empresário do Posto, Pousada e Autopeças Pai Assis estabelecidos em Sousa-PB, Azarias Duque de Abrantes) e construído na gestão do então prefeito de Sousa, advogado João Estrela. Conta ainda com um supermercado e uma mercearia.
A comunidade tem sua economia voltada para a agricultura de subsistência e pecuária. Muitos dos seus moradores têm como atividade o comércio de mercadorias. Os “crediaristas” pinhãoenses atuam em vários estados da federação. Percorrem as ruaspara vender seus produtos.
Os crediaristas são comerciantes que movimentam a vida econômica local gerando emprego e renda. Eles deixam duas famílias, viajam todo início de mês, arriscam a vida, são como os antigos caixeiros-viajantes, comercializam as mais diversas mercadorias sempre com muita honestidade, determinação e coragem para trabalhar. Em cada crediário existem vários tipos de trabalhadores como vendedores, cobradores e motoristas.Destaques para o Crediário São João Batista de propriedade de Batista de Duda com atuação nos estados do Rio Grande do Norte e Alagoas gerando emprego e renda para população local e o Crediário Três Irmãos com atuação no Estado de Ceará, um empreendimento dos irmãos Jurandir Pedro (Galego), Gilvan Pedro e Juraci Pedro.
PEDRA DO CORAÇÃO  PRINCIPALNa localidade existem pedras em formato de coração que atraem curiosos. A Pedra do Coração uma verdadeira obra de arte esculpida pela natureza atrai e encanta curiosos e turistas. A Pedra é a grande atração turística da região. É uma formação rochosa localizada no meio da caatinga que atrai o olhar dos visitantes pela beleza exótica. As pedras ficam situadas nas terras dos herdeiros do saudoso agropecuarista Assis Barbosa, bisavô da secretária municipal de turismo de Vieirópolis, Mayane Gomes de Abrantes e avô do músico, comunicador, vocalista e proprietário da Banda Gilson & Mania, Gilson Abrantes. Também existe na comunidade a chamada pedra montada que atraem curiosos. Existem na comuna duas fontes de abastecimento por água subterrânea sendo uma particular e uma pública (cata-vento).
A Comunidade Jesus Pérola Preciosa tem como coordenadora a Sra. Maria da Costa Silva (Lanúsia). O terreno foi doado pelo empresário e vice-prefeito de Vieirópolis, José Emídio Moreira Neto (Zé de Miro).No mosteiro residem as freiras Kiara e Mariana. As religiosas rezam e dialogam com os jovens, ajudam a fortalecer a espiritualidade do projeto. As freiras vivem enclausuradas, sempre orando para que Deus permita a existência do projeto que contribui com recuperação de pessoas vítimas de drogas, incluindo o álcool.A Comunidade Católica Jesus Perola Preciosa é, antes de tudo, um dom de Deus, uma graça particular para a Igreja e um serviço de amor e misericórdia.
Espiritualidade, terapia ocupacional e a boa convivência. Esta é a essência da filosofia de trabalho desenvolvido pela comunidade ‘Jesus Pérola Preciosa’ que assiste a jovens com dependência química. Em pouco mais de seis anos o projeto abraçado por voluntários e mantido por doações já assistiu diversas pessoas de vários estados nordestinos. Em média cada jovem permanece de seis a oito meses na chácara. A ONG, pela eficiência na recuperação de jovens drogados é muito procurada.
Seguindo os ensinamentos do Papa João Paulo II, Lanúsia da Costa Silva, a coordenadora do projeto e os demais voluntários acreditam que somente com a ajuda de Deus é possível recuperar, de mudar o homem, daí a espiritualidade ser o primeiro alicerce do projeto. Em seguida vem à terapia ocupacional. Os jovens cuidam de hortaliças,trabalham com agricultura, na fabricação de vassouras com garrafas pet, artesanato e na construção e manutenção dos ambientes da chácara: alojamentos, convento, capela, refeitório, área de reuniões. O terceiro pilar da entidade é a boa convivência e todos, voluntários e internos têm convivido em harmonia por isso a missão um dia sonhada por Lanúsia se tornou referência no sertão paraibano e já é procurada por famílias de vários estados.
Os rapazes chegam à comunidade ‘Jesus Pérola Preciosa’ enviados pela Pastoral da Sobriedade, um dos movimentos da igreja católica; pelo Conselho Tutelar e alguns são encaminhados pela Justiça. A entidade vive de doações.
A entidade ‘Jesus Pérola Preciosa’ é uma comunidade de base porque leva em conta a necessidade básica do ser humano que é a qualidade de vida. O lema do projeto é ‘Acolhe o Teu Irmão’. “A nossa grande preocupação é fazer o dependente químico se sentir gente, acolhido, amado”, revela Lanúsia.
Alguns jovens chegam à chácara desacreditado até mesmo pela própria família.
O telefone é (83) 3521-2350. Contatos podem ser feitos pelo e-mail lanusiadaperola@hotmail.com.
Os principais pioneiros do desenvolvimento local foram: os casais Manoel Tomaz/Rosinha (avós de Assis Barbosa); Saturnino Machado/Maria José; Joaquim Barbosa/Conceição; Tibúrcio Machado/Anginha; Cícero Machado/Idalina; José Barbosa/Izabel; Chagas Barbosa/Umbelina Nogueira; Zué/Helena. Foram eles que construíram as primeiras residências.
Fizeram parte da história do Pinhão o comerciante João Tomaz/Crizantina Gomes Machado “in memóriam”; José Barbosa/Sindá. José Barbosa é pai do empresário e líder político em Vieirópolis, Antonio Barbosa; o saudoso comerciante Nozinho Machado;o saudoso Deca Barbosa/Noêmia (pais do empresário Joaquim Barbosa – Joaquim de Deca);José Epifânio/Maria; Antonio Pedro/Honorina (pais do artesão Duda Pedro); Joaquim Pedro/Rosa (pais do poeta repentista e mestre de obras, Dionísio Pedro); Raimundo Barbosa/Quinô Barbosa “in memoriam”; Joaquim Luiz/Mariquinha; Antônio Machado/Regina (Vuia); Severino Rocha/D.Raimunda; Izidório Rocha/Chiquinha Barbosa (pais do servidor do Ministério Público da Paraíba, Francisco Barbosa Rocha); José Alves/Tereza; Manoel Epifânio/Severina; Severino João (Lau)/Rita e Chico Joaquim/Ana Quinco.
Ainda fez parte do desenvolvimento da comunidadeo saudoso João Melão/Maria Abrantes. Recentemente o empresário Genésio Abrantes e sua esposa Maria Gorete Abrantes, filha de João Melão, resolveram prestar uma justa homenagem ao saudoso João Francisco de Oliveira (João Melão) dando o nome ao Residencial de propriedade dos mesmos localizado no Bairro do Geisel em João Pessoa-PB de Residencial João Melão. Durante muitos anos João Melão dirigiu o caminhão de Assis Barbosa transportando passageiros e mercadorias para a feira de Sousa e tinha como cobrador, José Duque de Equitane (Zé de Duca).
Ainda merecem destaque Miro Machado/Mundica “in memoriam” (pais do empresário e vice-prefeito de Vieirópolis, José Emídio Moreira Neto – Zé de Miro -, do ex-vereador, ex-vice-prefeito de Sousa, um dos fundadores do PT de Sousa-PB, advogado Francisco Valdemiro Gomes (Chiquinho do PT) e do empresário Valdeci Emídio Gomes); o saudoso Dorge Gomes Machado/Mariquinha Batista (pais dos empresários Manassés Batista, Esdras Batista e da enfermeira da Bemfam, Irismar Batista); o agropecuarista de saudosa memória Zezinho Tomaz; saudoso Severino Machado/Noêmia; Pedro Ferreira, Chico Brejeiro/Lourdes; o motorista João Trigueiro; Chico de Raimundo Barbosa, o motorista Chico de Júlio Estrela (pai de Saul proprietário da lanchonete Saul Lanches em Sousa); Sabino Rocha, Chico Beleco e o comerciante Júlio Tomaz “in memoriam”.
Em 1937 o agropecuarista Assis Barbosaconstruiu a Casa Grande do Pinhão que foipalco de memoráveis comícios. Assis Barbosa destacou-se como criador de gado, no plantio de cana-de-açucar, algodão, coco e banana. O patriarca Assis Barbosafoi um homem de traços fortes, um guerreiro. Um homem de respeito, que agia com ética e era dedicado ao trabalho e a sua família. Foi um homem de caráter exemplar. Era uma das reservas morais da região. Foi uma referência na região. Foi um fiel amigo e correligionário do saudosolíder político, deputado federal e usineiro,José de Paiva Gadelha. Revelou-se como um grande comprador deterras, gado e algodão da região.
Assis Barbosa foi casado com a Sra. Francisca Maria de Abrantes (D. Chiquinha). Dessa união nasceram doze filhos: Necy Abrantes (a primogênita); Maria Abrantes; Quinca Barbosa; Chico Barbosa; Jasmira Abrantes; Tiquinha Abrantes; Creusa Abrantes;farmacêutico bioquímico Augusto Abrantes Barbosa; ex-presidente da Câmara Municipal e ex-vice-prefeito de Luís Gomes-RN, comerciante, José Abrantes Barbosa; ex-vice-prefeito de Tenente Ananias –RN, professor, empreendedor e tribuno,Valdemar Abrantes Barbosa (Mazinho Barbosa); “in memoriam”; o ex-presidente da Câmara Municipal de Vieirópolis e atual secretário municipal de Obras, Sinval Abrantes Barbosa e o servidor aposentado da Assembleia Legislativa da Paraíba, bacharel João Abrantes Barbosa.
Uma das primeiras professoras do lugar foi Belita Machado. Preocupado com a educação dos filhos o Sr. Assis Barbosa contratou os seguintes professores: Nazinha Pereira, Zé Pereira, Francisca Neves e D. Tereza.
Há na comunidade a casa do mestre-artesão José Antônio da Silva (Duda Pedro) com pequenas esculturas, chaveiros, rabecas e enfeites para estantes feitos com madeira, chifres de boi, coco etc.José Antônio da Silva (Duda Pedro) é pai do empresário João Batista Alves da Silva (Batista de Duda) e do comerciante Iordan Alves da Silva. A residência do artesão é bastante visitada por pessoas que querem conversar com o artista, ver e fotografar as peças. Sua última invenção foi a fabricação de mesa de madeira com cobertura de cerâmica. A casa do artesão está aberta a visitação da população em geral. O artesão já foi premiado por ocasião de uma feira de artesanato realizada pela Prefeitura Municipal de Vieirópolis.
Abdias Duque de Abrantes
Advogado – Pós-graduado em Direito Processual do Trabalho pela Universidade Potiguar (UnP), jornalista, servidor público e neto do saudoso agropecuarista Assis Barbosa.